ACCELERATE: A nova estratégia da Volkswagen

ACCELERATE: A nova estratégia da Volkswagen

5 de março de 2021 0 Por Redação

A Volkswagen está acelerando sua transformação como provedora de mobilidade movida por software. Ao colocar em ação a estratégia ACCELERATE apresentada hoje, a empresa vai se preparar de forma sistemática para as profundas mudanças na indústria automotiva em seu devido momento. Assim como a Volkswagen assumiu a liderança com sua ofensiva elétrica global, está acelerando agora outras áreas de grande importância no futuro: integração do software no veículo e a experiência digital do cliente. Na implementação de modelos de negócios baseados em dados, a empresa está procurando atrair novos grupos de clientes e criar fontes de faturamento adicionais. A Volkswagen também tornará a condução autônoma disponível para muitas pessoas antes do final da década. “A mobilidade elétrica foi apenas o começo: a transformação real ainda está por vir. Com nossa estratégia, vamos acelerar rumo ao futuro digital”, declarou Ralf Brandstätter, CEO da Volkswagen. “Nos próximos anos, vamos mudar a Volkswagen como nunca antes.”

Em 2016, a Volkswagen deu início à sua transformação de longo alcance e à maior ofensiva elétrica da indústria com a estratégia TRANSFORM 2025+. Com a nova estratégia ACCELERATE, a Volkswagen quer agora transformar-se na “marca mais atraente de mobilidade sustentável”. A empresa está seguindo três impulsionadores de valores estratégicos para uma transformação acelerada – “valor da marca”, “plataformas escaláveis” e “empresa valiosa”. Todos eles se fundamentam em medidas específicas e objetivos ambiciosos.

Integração de software se tornará uma competência central da Volkswagen

Os altos volumes da empresa garantirão a necessária escalada do software no Grupo. Assim, a integração do software ao veículo e a experiência digital do cliente passarão a ser competências centrais da Volkswagen. Para isso, a Volkswagen está encabeçando o desenvolvimento do ecossistema digital centrado no cliente, com a Família ID. desbravando o caminho. Com essa intenção, a Volkswagen implantou a ágil unidade de projetos ID. Digital, que irá fornecer atualizações de programas “over-the-air” a cada 12 semanas, começando no verão europeu deste ano. Isso irá permitir que o veículo se mantenha atualizado durante todo o seu ciclo de vida e melhore cada vez mais com as novas funções. Uma frota totalmente ligada por rede de mais de 500 mil veículos deverá chegar às ruas e estradas em apenas dois anos, por meio do qual a Volkswagen será capaz de transmitir feedback direto do cliente sobre as novas funções.

Modelo de negócios 2.0: novos clientes e fontes adicionais de faturamento

Ao transformar o veículo num produto baseado em software, a Volkswagen está preparando o cenário para novos modelos de negócios baseados em dados destinados a diminuir as barreiras de entrada para a mobilidade individual, oferecendo ao mesmo tempo aos clientes pacotes de serviços muito atraentes. A Volkswagen almeja assim gerar um faturamento adicional ao longo da vida útil do veículo com serviços de recarga e energia, por meio de funções baseadas em software que os clientes poderão reservar quando necessárias, ou mediante à condução automatizada.

A empresa também vai tornar a estrutura de seu portfólio de veículos muito menos complexa. As futuras gerações de automóveis serão produzidas com um número de versões muito menor. As configurações individuais não serão mais definidas pelo hardware quando o veículo for adquirido. O veículo terá praticamente tudo a bordo e os clientes poderão adicionar as funções desejadas sob demanda a qualquer momento usando o ecossistema digital. Isso reduzirá significativamente a complexidade da produção.

Um plano claro para aumentar a lucratividade

A Volkswagen reservou cerca de 16 bilhões de euros para investimentos nas futuras tendências da mobilidade elétrica, hibridização e digitalização até 2025. Para poder financiar os investimentos futuros, a empresa vai trabalhar sistematicamente para aumentar sua eficiência com a estratégia ACCELERATE. A meta de margem operacional de pelo menos 6% deve ser alcançada até 2023 e garantida no longo prazo.

O foco nesse aspecto será tornar-se mais resiliente ante flutuações do mercado. Para conseguir isso, a Volkswagen está procurando cortar seus custos fixos em 5% antes de 2023, aumentar a produtividade das fábricas em 5% ao ano, otimizar os custos com materiais em 7% e trazer todas as regiões a números lucrativos de longo prazo. Na América do Sul e Estados Unidos, a Volkswagen está se esforçando para chegar ao equilíbrio ainda neste ano fiscal. A empresa agora pode registrar lucro na América do Norte, com uma queda no volume de vendas de cerca de 15% e na América do Sul, com os volumes caindo em até 30%.

Expansão mais rápida da mobilidade elétrica

A Volkswagen planeja acelerar rapidamente a campanha elétrica global mais uma vez: até 2030, a marca aumentará sua participação no mercado para mais de 70% das entregas de carros totalmente elétricos na Europa – o dobro da meta de 35% anteriormente planejada. Nos Estados Unidos e China, a marca está visando uma participação no mercado de veículos elétricos, no mesmo período, de mais de 50%. Para conseguir isso, a Volkswagen irá lançar pelo menos um novo modelo por ano da plataforma BEV. O ID.4 GTX* com tração nas quatro rodas vai dar início a isso no primeiro semestre de 2021, seguido pelo esportivo ID.5*, no segundo semestre do ano. O ID.6 X / Cross*, um SUV elétrico de sete lugares para o mercado chinês, será lançado no outono. Os planos para um carro elétrico abaixo do ID.3** – com preço de entrada começando em 20 mil euros – foram postergados por dois anos, para 2025.

A Volkswagen otimizará continuamente Plataforma Modular para Propulsão Elétrica (MEB) com melhorias na aceleração, capacidade de carga e alcance. A Volkswagen também usará seus pontos fortes como campeã de plataforma na próxima geração de um kit de ferramentas de acionamento totalmente elétrico de alto desempenho para veículos “flats” – a Plataforma de Sistemas Escaláveis. Isso será implantado em 2026 pela primeira vez no projeto carro-chefe da Volkswagen, Trinity.

A frota com motores a combustão também ganhará mais desenvolvimento, paralelamente à aceleração da campanha elétrica. Todos os modelos base, incluindo o Golf, Tiguan, Passat, Tayron e T-ROC, terão outros sucessores. Ralf Brandstätter: “Continuaremos precisando de motores a combustão por algum tempo, mas eles têm que ser tão eficientes quanto possível. É por isso que a nova geração de nossos principais produtos – que são todos modelos globais – também será equipada com a última geração de tecnologia híbrida plug-in, com uma autonomia elétrica de até 100 quilômetros.”

Trinity vai expandir a condução autônoma

Tudo o que a Volkswagen planeja para o futuro, os clientes poderão experimentar num veículo pela primeira vez em 2026. No Trinity, todos os elementos estarão reunidos. O veículo vai estabelecer novos parâmetros em três pontos: tecnologicamente, em termos do modelo de negócios 2.0, e com novos procedimentos de produção na fábrica de Wolfsburg.

O Trinity irá proporcionar condução automatizada de Nível 2+ no lançamento e Nível 4 no futuro. ” O Trinity se tornará uma espécie de máquina do tempo para nossos clientes, economizando tempo e estresse. No entanto, essa tecnologia não deve se tornar domínio exclusivo de uma elite seleta, por isso estamos trabalhando nisso para torná-la disponível para muitas pessoas”, disse Brandstätter.

A venda de cerca de 6 milhões de unidades por ano dá à empresa a massa crítica necessária para impulsionar a condução autônoma, cujo desenvolvimento é sofisticado, e expandi-la mundialmente Começando com a Trinity em 2026, a Volkswagen assumirá a liderança no Grupo Volkswagen, estabelecendo uma rede neural em toda a sua frota de veículos totalmente interconectada, sobre a qual os veículos trocarão dados continuamente, por exemplo, sobre a situação do tráfego, obstáculos ou acidentes. Isso permitirá que a Volkswagen crie um sistema de autoaprendizagem com milhões de veículos que beneficiará os clientes de todas as marcas do Grupo.

Ralf Brandstätter: ” A Volkswagen passará por mudanças profundas. Representaremos não apenas a mobilidade elétrica climaticamente amigável, mas também experiências digitais fascinantes para o cliente, novos modelos de negócios e direção autônoma para muitas pessoas. Construímos uma base sólida para isso nos últimos anos. Agora, com ACCELERATE daremos um novo impulso à digitalização.”

*Os veículos não estão à venda.

**ID.3 – consumo combinado de potência em kWh/100 km (NEDC): 17.7 – 14.5, emissões de CO2 em g/km: 0; classe de eficiência: A+